1.
REDUZIR

Antes de mais há que ter contenção na produção de resíduos. A diminuição da quantidade de lixo é o passo primordial para resolver o problema da sua acumulação e melhorar a sua gestão.
Com a crescente demanda comercial, a produção de resíduos aumenta astronomicamente. São principalmente embalagens descartáveis (plásticas, de vidro, de papel, papelão, latas, tetrapak), pilhas e baterias (incluindo as dos telemóveis) que fazem um grande mal à Natureza por não se degradarem e ocuparem imenso espaço nos aterros sanitários (o que provoca a diminuição do seu tempo de utilização e a necessidade de procurar novos espaços para novos aterros).

Mas, então, o que se faz a tantos resíduos? Não se acaba com o lixo colocando-o no contentor - o problema começa exactamente aí. Imagine-se a quantidade de lixo que se produz numa cidade! O perfil do lixo produzido nas grandes cidades é de 39% de papel e papelão, 16% de metais ferrosos, 15% de vidros, 8% de resíduos alimentares, 7% de filme plástico, 2% de tetrapak e 1% de alumínio.

Uma coisa que podemos fazer é procurar reduzir a quantidade de lixo produzida em nossa casa. Como? Aqui ficam alguns exemplos:

  • Comprar apenas o necessário, para não haver despredícios.

  • Imprimir ou copiar apenas as quantidades necessárias.

  • Procurar comprar produtos cuja embalagem seja reciclável.

  • Preferir embalagens de vidro às de plástico (o vidro é mais facilmente reciclável).

  • Sempre que possível optar por produtos sem embalagem.

  • Utilizar papéis de menor gramagem, de preferência não clorados, utilizando sempre as duas faces da folha de papel.

  • Separar materiais para reciclar.

  • Fazer a compostagem de resíduos orgânicos.

  • Reutilizar sempre que possível.

    É também de extrema importância a redução dos consumos de água e energia eléctrica.

  • Não deixe a torneira aberta ao escovar os dentes ou fazer a barba.

  • Não deixe as torneiras a pingar (uma torneira a pingar gasta cerca de 200 litros por dia).

  • Não lavar os carros à mangueira. Se o fizer com um balde e uma esponja gasta apenas cerca de 60 litros, enquanto que com a mangueira pode gastar 10 vezes mais (600 litros).

  • Não use a mangueira para "varrer" os passeios.

  • Utilizar as máquinas de lavar roupa e loiça apenas quando estiverem cheias.

  • Não utilize o autoclismo como cinzeiro (para além de os restos do cigarro constituirem um problema na fase de tratamento das águas, cada descarga do autoclismo gasta, em média, 40 litros de água).

  • Não tomar banhos prolongados (5 minutos com um chuveiro aberto consomem cerca de 60 litros de água).

  • Não deixar as luzes acesas desnecessariamente.

  • Não abrir o frigorífico sem necessidade nem deixar a porta aberta.

  • Não ligue o ferro para passar pouca roupa.
  • 2.
    REUTILIZAR

    Outro passo indispensável. Há materiais concebidos para serem utilizados várias vezes. A opção de reutilização diminui a curto prazo a quantidade de resíduos domésticos adiando a sua rejeição e consequente eliminação.
    Outra forma de produzir menos resíduos é reutilizar tudo aquilo que possa ser útil para alguma coisa. Deixo aqui algumas ideias:

  • Usar o verso de folhas impressas para rascunho.

  • Imprimir frente e verso do papel.

  • Usar os restos de frutas e legumes para fazer adubo (compostagem).

  • Destinar algumas embalagens para outros fins que não o lixo (por exemplo, frascos de maionese ou outros semelhantes para guardar alimentos; caixas de sapatos para arquivos; latas para porta-lápis...).
  • 3.
    RECICLAR

    Objectivo Final. Consiste na transformação do material inútil em material útil, diminuindo assim a quantidade de resíduos e poupando recursos naturais energéticos.
    Separe papéis, vidros, latas e plásticos para serem reciclados. Assim contribui para a diminuição do lixo acumulado e ajuda a obter matéria prima sem que seja necessário extrai-la do meio ambiente.

    Sabe quanto tempo a Natureza demora a absorver os detritos?

  • Jornais, de 2 a 6 semanas.

  • Embalagens de papel, de 1 a 4 semanas.

  • Frutas, 3 meses.

  • Guardanapos de papel, 3 meses.

  • Pontas de cigarro, 2 anos.

  • Fósforos, 2 anos.

  • Pastilhas elásticas, 5 anos.

  • Nylon, 30 a 40 anos.

  • Sacos e copos de plástico, 200 a 450 anos.

  • Latas de alumínio, 100 a 500 anos.

  • Tampas de garrafas, 100 a 500 anos.

  • Pilhas, 100 a 500 anos.

  • Garrafas e frascos de vidro ou plástico, indeterminado.

    Cada 50 kg de papel reciclado poupa o corte de uma árvore. A reciclagem de uma tonelada de plástico economiza 130 kg de petróleo.

  • Página 100%
    reciclável